Words

Farsantes das Artes Marciais: Uma História de Imitadores e Oleo de Cobra

Fightland Blog

By Sarah Kurchak

Josh Hedges/Zuffa LLC

O “tio estranho” do UFC e astro de ação Steven Seagal reapareceu do lado do octógono quando ele ensinou ao desafiante Daniel Cormier alguns truques mortais que o ajudariam a garantir sua vitória sobre o campeão meio-pesado Jon Jones. Ele também se exibiu, vestindo suas melhores roupas e peruca de John Travolta, como parte da comitiva de Cormier no UFC 182 em Janeiro deste ano. 

A insistência do Seagal em fingir que ele é um especialista em artes marciais supersério e totalmente legítimo, especialmente quando é quase dolorosamente claro que ninguém o leva a sério, nos deixou com muitas perguntas:

Como é que um ser humano consegue se parecer tanto com o Frylock de Aqua Teen Hunger Force? O que Seagal ganha com essa pantomima bizarra? O que os lutadores ganham com isso? Como é que alguém que, pelo que tudo indica, parece realmente se preocupar com as artes marciais, acaba se envolvendo em comportamentos que fazem paródia da disciplina?

As artes marciais tem a ver com honra, o que faz mentir sobre a própria educação, talento e realizações, um pecado imperdoável. Artistas marciais verdadeiros detestam esse tipo de comportamento, e inclusive o condenam ativamente. Então, o que motiva alguém a fazê-lo? Especialmente em nossos tempos capacitados por Google?

Com isto em mente, nós demos uma olhada em alguns dos mais famosos exagerados, fraudes e malucos na história das artes marciais. Isto não nos deu muitas respostas, mas, pelo menos, nos ofereceu uma abundância de histórias de nocautes sem contato, de faixas-pretas pedidas pelo correio, falsificação de lutas de boxe na Russia, e bebês que derretem.

Sin The’

Realmente não há nenhuma maneira fácil de resumir as façanhas polarizadoras de Sin Kwang The', um Shaolin Grandmaster (?) que ensinou uma arte marcial altamente duvidada, chamada Shaolin Do, em Kentucky, desde o final dos anos 60. Ele afirma ter dominado mais de 900 formas em mais de 100 sistemas de combate e que sua arte marcial tem uma linhagem direta ao Templo Fukien. Ele tem um irmão distante, Hiang A, que também é um Grandmaster e conta uma versão muito diferente sobre a sua história. Alguns dizem que seu mestre derreteu um bebê durante um treinamento de sandburn que deu errado.

Sin The’ tem defensores intransigentes até hoje, mas o caso contra ele é difícil de ignorar. De acordo com estes posts sobre Bullshido, The’ tem falsificado suas credenciais, a linhagem de sua arte marcial, e o número de formas que ele domina. E essa história de fusão de bebê é apenas um boato que ele ouviu que ele começou a contar a seus alunos porque, bem, por que você não passaria merda sobre um bebê derretido quando você essencialmente inventou uma arte marcial de técnicas de várias outras artes?

David Lang

Indiscutivelmente o segundo fraude de BJJ mais notório de todos os tempos, David Lang fez as seguintes reivindicações ao longo dos anos: ele é um americano brasileiro que se mudou para os EUA aos 19 anos com uma faixa-marrom de Jiu-Jitsu, ele serviu duas vezes no Afeganistão com a Infantaria da 101 divisão, e ele recebeu a faixa-preta de Jiu-Jitsu sob a lenda do vale tudo Wallid Ismail. Lang foi exposto pela primeira vez em 2010, quando uma discussão no Underground começou a escavar o seu passado e descobriu que Lang não tinha ligações para o Brasil, havia crescido como um cristão estudando em casa em os EUA, e nunca tinha servido nas forças armadas. Wallid Ismail nunca tinha ouvido falar dele, e prontamente emitiu uma declaração em vídeo sobre o assunto.

Em vez de se defender, admitindo a culpa e/ou desaparecendo, Lang dobrou-se e começou uma campanha de cartas para limpar seu nome que de alguma forma resultou em ele, entre outras coisas, tornando-se amigo de carta com o faixa-preta de Jiu-Jitsu preso Hermes Franca, e do respeitado faixa-preta Carlos David Oliveira. E ele ainda está nessa.

George Dillman

O mestre norte-americano ryuku de karatê kempo George Dillman tem sido uma figura de sucesso na cena das artes marciais norte-americanas desde os anos 60. Ele ensinou Muhammad Ali (ou, pelo menos, partilhados alguns ops de fotografias embaraçosas com Ali) e entrou no Hall of Fame da revista Black como Instrutor do Ano em 1997.

Sua reivindicação à fama, os nocautes sem toque, é essencialmente a homeopatia do mundo das artes marciais. Parece que ele não consegue fornecer qualquer prova científica de que os seus métodos de trabalho, mas pelo menos ele entretém o resto de nós, enquanto ele tenta oferecer prova e desculpas.

Seu protegido Harry Thomas Cameron, também conhecido como O Stun Gun Humano, foi continuar esta tradição de envergonhar a si mesmo e sua arte na TV. Acima está um vídeo dele fazendo nada para Stephan Bonnar.

Count Dante

John Timothy Keehan boxeou como adolescente, aprendeu técnicas de jiu-jitsu no exército, e recebeu sua faixa preta em caratê como um adulto. Aparentemente, nenhuma dessas realizações da vida real foram o suficiente para Keehan, que mudou seu nome para Dount Jerjer Raphael Dante, inventou uma linhagem nobre para sua família, e fez o seu próprio sistema de artes marciais chamado Dan-te, e fundou o Black Dragon Fighting Society. Ele anunciou o Dan-te ("... a arte MORTAL e mais aterrorizante luta conhecida pelo homem") e ele próprio ("o mais mortífero homem que já viveu") em histórias em quadrinhos. Na realidade, a pior coisa que ele fez foi instigar uma briga com um dojo rival que levou ao assassinato de um de seus alunos.

Ashida Kim

Ashida Kim, autor ninja e personalidade do YouTube, tem uma história completamente indetectável nas artes marciais. Não há registro de onde ele treinou, ou quem o treinou. Mas ele diz ao The Believer que ele treinou primeiro com Conde Dante em 1968 e se envolveu com Black Dragon Fighting Society de Dante, o que potencialmente faz dele uma segunda geração de fraudes das artes marciais. Ashida Kim também oferece a venda de faixas-pretas pelo correio.

Frank Dux

Frank Dux ganhou fama como a inspiração da vida real (e coreógrafo) para o clássico Bloodsport com Jean-Claude Van Damme, mas uma história que o Los Angeles Times publicou, em 1988, revelou que o filme não era exatamente baseado em uma história verdadeira. Dux nunca chegou no Sudeste Asiático enquanto estava no serviço militar, e o mais próximo que ele chegou a ser ferido no cumprimento do dever foi cair de um caminhão que ele estava pintando no momento. O Ministério do Esporte nas Bahamas, onde o torneio imortalizado em Bloodsport alegadamente aconteceu, não tem registro de qualquer tipo de concorrência. E, pelo menos, um de seus muitos troféus de artes marciais foi comprado por ele em uma loja de troféus na Califórnia. O dono da loja tem o recibo para provar isso, mas Dux afirma que é uma falsificação.

Rafiel Torre

Como você chega a passar o topo das façanhas do mais odiado fingidor David Lang para se tornar o fraude mais odiado na história do Jiu-Jitsu e MMA? Você perde uma luta de propósito. E aí você assassina alguém.

Rafiel Torre, um repórter que virou lutador, era uma figura bastante amada nos anos formativos do MMA e, no começo, ninguém desconfiou das alegações de que ele era um especialista em Jiu-Jitsu brasileiro. As coisas começaram a se desmoronar quando ele decidiu "sair da aposentadoria" para uma luta no King of the Cage 7 no 24 de fevereiro de 2001. Ele venceu a luta com uma chave de joelho mal-executada e a teatralidade do pro-wrestling que imediatamente fez seus amigos e defensores suspeitarem que luta foi falsa. A verdade veio à tona: o seu passado e realizações no esporte eram tão fictícios quanto a sua luta. Em uma ironia trágica, o único movimento de combate legítimo que ele executou era o mata-leão que ele usou para matar o marido de sua amante, Bryan Richards, em dezembro de 2001. Torre foi condenado por assassinato em primeiro grau em 2011 e atualmente está servindo uma sentença de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

Elvis Presley

Nós já cobrimos questões bizarras sobre o karatê do Elvis detalhadamente aqui no Fightland, mas aqui está a versão curta: Elvis descobriu o karatê enquanto ele estava no exército. Depois disso, ele embarcou em uma carreira quase legítima, e meio questionável na qual ele ganhou uma faixa preta duvidosa, realizando movimentos de karatê durante os shows, e rasgando suas calças durante o treinamento.

Seu karatê ficou assim:

Mickey Rourke

Ator Mickey Rourke causou um rebuliço enorme em novembro do ano passado, quando ele "bateu" Elliot Seymour (que tinha um registro 1-9) em uma luta de exibição na Rússia, porque, bem, a luta parecia como este e Seymour posteriormente admitiu tomar um mergulho por um dinheiro muito necessário. Mas o seu passado histórico como um pugilista amador estava sob disputa muito antes disso. Nem a organização Luvas de Ouro nem o seu padrasto acham que ele lutou.

Este caso é particularmente triste, porque, se você ouvir Rourke no podcast do Chael Sonen, é claro que ele realmente ama o esporte e se preocupa com a sua história. Então, o que diabos leva a fazer tal farsa dele?

Steven Seagal

Antes de se tornar uma das maiores estrelas de ação dos anos 80 e 90, Steven Seagal foi um instrutor de Aikido – e o primeiro instrutor norte-americano no Japão. Tudo isso é verificável, mas o seu próprio treinamento está sob uma certa quantidade de debate.

Suas mais questionáveis ações ligadas às artes marciais, porém, tem sido sua associação com vários lutadores do UFC, como Anderson Silva, Lyoto Machida, e Daniel Cormier. (Ele também tentou ficar ao redor com Jon Jones e dar-lhe dicas, mas o campeão recusou). Este tornou-se claramente uma das melhores piadas do UFC. O Anderson aceitou os conselhos, mas começou a se distanciar de Seagal quando o herói de ação começou a tomar muito crédito para ensinar-lhe o pontapé que nocauteou Vitor Belfort e Cormier certamente tirou sarro quando ele disse que aprendeu algumas coisas com o mestre antes de sua luta contar Jon Jones em janeiro. Mas o próprio Seagal acredita que ele realmente ensina pra essa garotada do UFC algo novo, ou ele acredita que todos nós acreditamos nele. E ambas as opções são desconfortavelmente tristes neste momento.

Ele também nega que Judo Gene Lebell nunca o submeteu, apesar de todas as evidências em contrário.

 

Leia mais historias de Fightland:

Kron Gracie Sobre Jiu Jitsu, Skate, Irmãos Maiores e Pais Famosos

Não Me Bate Na Boca Que Eu Tenho Que Tocar Hoje à Noite: Miles Davis e o Boxe

 

Comments